A inconveniente verdade sobre Growth Hacking que ninguém quer contar

a verdade sobre growth hacking

Desde que virou “modinha” e diversos HeadHunters saíram à caça de Growth Hacker no mercado, o número de profissionais que simplesmente mudaram o título de suas funções para receber novas propostas e migrar, não está no gibi. Nem só de modinha vive o mercado, eu sei. Há também uma crescente demanda por crescimento (claro), e, principalmente, em momentos como o nosso em que toda economia está fraca.

Porém, há uma verdade muito inconveniente sobre Growth Hacking que ninguém quer te contar e ela é simples:

Nem toda empresa precisa/pode ter um Growth Hacker.

Como assim?

Assim. Simples e direto.

Se sua empresa planeja crescer até 20% em um ano, você não precisa de Growth Hacking.

Sim, você precisa de um bom plano de Marketing – a não ser que você seja o Google do seu mercado, claro. O objetivo não é apenas Growth (crescimento), mas o efeito “mágico” do crescimento exponencial – o hacking.

Isso nos leva ao segundo ponto:

Se sua empresa não tem capacidade de crescimento exponencial, você não precisa de Growth Hacking.

Sim, a capacidade produtiva é fundamental para oferecer a estrutura de crescimento. Qualquer profissional que se preze, vai, antes, analisar a capcidade de curva de crescimento. Quais suas limitações de escalabilidade? Qual processo necessário para gerar mais escalabilidade? Ou seja, qual a flexibilidade do negócio para gerar novos recursos?

Se a empresa não estiver preparada para oferecer uma estrutura e recursos de tecnologia, não pode ter Growth Hacking.

Sinto muito, mas eu não confio em Growth Hackers que não respiram tecnologia – e não falo de usar celulares mais modernos, mas no conceito básico de banco de dados, algoritmos e linguagens em si. Trabalhar com robôs para automatizar processos, análises e pesquisas, buscar brechas de mercado e em concorrente, analisar números para traçar experiências, teses, implementações, resultados e reinício de ciclo. Esse é o ar de um bom profissional. Do contrário, será mais do mesmo no mercado: gente propondo fórmulas mágicas de crescimento e na hora H só sabe fazer Google Adwords, anúncios no Facebook e Instagram, mostrar ganho de seguidores, spams de Whatsapp etc.

Quando uma vez me perguntaram se eu pudesse dizer apenas as qualidades fundamentais para um bom profissional de Growth Hacking eu respondi: entender de pessoas (é o primeiro e principal), criatividade e inovação, respirar números e não ter medo de testar.

Agora respondo no sentido inverso: o fundamental para boas empresas que podem ter Growth Hacking precisam ter escalabilidade, espaço para inovação e experiências.

Deixe uma resposta